22
Dec 2016

Atualização do aplicativo "Boletos" - Cobrança registrada

Publicado em Boletos


Hoje nosso aplicativo para emissão de boletos recebeu uma atualização muito importante.

Mas antes de falarmos sobre os novos recursos disponíveis, vamos entender um pouco melhor o que vai acontecer a partir de 2017 e como sua empresa será afetada por estas mudanças.

Existem atualmente dois tipos de boletos bancários:

Boleto sem registro e boleto com registro


Boleto sem registro

Este tipo de boleto é emitido pelas empresas sem que haja qualquer tipo de conhecimento prévio dos bancos em relação à sua emissão. Isso faz com que o mesmo seja amplamente utilizado no comércio eletrônico, pois caso o cliente faça uma compra e desista logo em seguida, nenhuma taxa é cobrada da empresa responsável pela emissão do boleto.

Sendo assim, os bancos cobram uma taxa apenas quando o cliente efetua o pagamento do título, tornando o processo simples e com baixo custo para as empresas.

Além disso, caso haja a necessidade de alteração de valor e data de vencimento do documento, basta que seja feito um acordo entre empresa e cliente, sem qualquer intervenção do banco.

Possui a desvantagem de ser facilmente adulterado por fraudadores, ocasionando prejuízos a bancos e clientes.


Boleto com registro

Neste caso, existe um controle muito maior das informações que são preenchidas no boleto. Informações como nome ou razão social do cliente, CPF ou CNPJ, endereço, valor e data de vencimento são obrigatórias na adoção deste modelo.

Antes de enviar os boletos para os clientes, a empresa precisa enviar um arquivo no formato texto com informações de todos os títulos para o banco. Este arquivo é conhecido como arquivo de remessa e é responsável pelo registro de todas estas informações no banco.

Proporciona uma maior facilidade para descobrir se o cliente pagou, qual foi o valor pago e em qual data o pagamento ocorreu.

Se um produto vendido foi entregue ou um serviço foi executado e o cliente não quitou o boleto, é possível realizar o protesto do título em cartório.

Possui a desvantagem de aumentar o custo das empresas, já que os bancos cobram tarifas para o registro e liquidação do boleto, entre outras taxas.


Nova Plataforma da Cobrança

Infelizmente, o boleto sem registro possui uma grande chance de ser falsificado, conforme mencionado acima. Isto fez com que houvesse um desvio de bilhões de reais nos últimos anos por parte de quadrilhas especializadas neste processo.

Sendo assim, a FEBRABAN criou um projeto conhecido como "Nova Plataforma da Cobrança". Este projeto basicamente estabelece a adoção da cobrança registrada como o modelo padrão para cobranças bancárias e a gradativa eliminação dos boletos sem registro.

Esta medida vem sendo implementada desde junho de 2015, período em que os bancos pararam de oferecer a novos clientes a carteira de cobrança sem registro. Desde então, clientes antigos progressivamente foram migrados para o novo formato.

O cronograma estabelecido pela Febraban para a adoção da cobrança registrada segue abaixo:

- Boletos com valor igual ou acima de R$ 50.000,00: validação a partir de 10/07/2017;

- Boletos com valor igual ou acima de R$ 2.000,00: validação a partir de 11/09/2017;

- Boletos com valor igual ou acima de R$ 500,00: validação a partir de 09/10/2017;

- Boletos com valor igual ou acima de R$ 200,00: validação a partir de 13/11/2017;

- Boletos de todos os valores: validação a partir de 11/12/2017.

A "Nova Plataforma da Cobrança" servirá para armazenar e cruzar os dados de todos os boletos emitidos no Brasil. Eles serão registrados na Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP), que funcionará como um registro único de boletos e será consultada pelos bancos cada vez que alguém tentar realizar o pagamento de um título.

Em virtude deste sistema, juros e multas serão atualizados automaticamente no caso de boletos pagos após o vencimento, a quitação de boletos vencidos poderá ser efetuada em qualquer banco e a duplicidade de títulos não acontecerá de jeito nenhum.

Além disso, a partir de 2017, o boleto sem registro só poderá ser pago no banco responsável pelo documento. O mesmo vale para títulos que não forem encontrados na base central de boletos na ocasião do pagamento.


Como podemos ajudar a sua empresa

Implementamos em nosso sistema a geração do boleto físico e do respectivo arquivo de remessa para o registro dos boletos (carteira 109 do banco Itaú), o que nos deixa preparados para o ano de 2017.

Entretanto, existem várias melhorias que serão feitas nas próximas versões do produto. Entre elas estão:

- Possibilidade de geração de layout no padrão CNAB 240, já que só temos até o momento o layout para o padrão CNAB 400;

- Leitura do arquivo de retorno dos pagamentos bancários para uma maior agilidade na sua conciliação bancária;

- Implementação de cobrança bancária para outros bancos (apenas o banco Itaú está disponível por enquanto);

- Disponibilização do download do boleto no formato PDF, pois apenas o modo de impressão está disponível atualmente;

- Integração com um aplicativo para controle de vendas, já que o aplicativo para geração de boletos atua de forma isolada até o momento;

- Maior controle de quais boletos devem fazer parte de um arquivo de remessa, pois atualmente só aconselhamos a geração do arquivo de remessa no final do expediente.

Reconhecemos as atuais limitações do nosso sistema, mas fazemos questão de deixar bem claro aqui que estamos comprometidos em criar um produto cada vez melhor para você.

Deseja imprimir boletos?

Então entre em contato conosco agora mesmo e solicite uma demonstração gratuita.







Posts recentes





Deixe um comentário